Um erro muito comum entre os tutores de cachorros é acreditar que a punição usando castigos físicos, como bater nele é normal e surte efeitos positivos na educação do cachorro, como por exemplo, melhorar o passeio com ele.

O castigo físico foi usado durante muitos anos como forma de direcionar os cães às atitudes corretas e tirar os vícios que incomodavam na convivência com a família e, com o tempo, muitos castigos foram considerados violentos e banidos quase que completamente dos treinamentos e convívio familiar.

Bater resolve?

Para começar, bater não corrige. Pode causar um susto na hora, causar medo, mas não é um método que garante o entendimento do animal sobre repetir ou não o que causou a agressão.

Olha isso…

Além disso, bater no seu cachorro pode causar danos irreparáveis: traumas físicos, causados pela força desmedida que podemos usar na hora do nervosismo, somada a delicadeza da anatomia do cachorro, que não é preparada para isso.

E o trauma psicológico, que pode ser ainda mais trabalhoso. Um cachorro que apanha pode se sentir indesejado, especialmente quando não entende o porquê do castigo. Dessa forma o animal não vê propósito na punição. Também pode desenvolver medo do tutor e aversão a pessoas, podendo se tornar recluso ou agressivo.

A reação do cachorro também é imprevisível e pode ser prejudicial ao tutor ou aos outros animais na casa.

Bater não é seguro para o cão

É relativamente fácil machucar um cão quando se bate nele. Raramente conseguimos controlar nossos movimentos com precisão tal que provoquem apenas desconforto. Imagine uma pessoa dando uma joelhada no tórax do cão para ele parar de pular em cima dela (técnica descrita por diversos livros de comportamento!). Dependendo da velocidade com a qual o cão veio para cima de você, a força do seu joelho no tórax dele pode se multiplicar e até provocar uma fratura de costela! Tapas no focinho também podem machucar, se forem fortes demais ou em região mais sensível. Muita gente bate mais forte quando está com raiva, o que aumenta ainda mais a possibilidade de exageros.

É possível adestrar seu cachorro para fazer qualquer coisa, como passear sem puxar por exemplo! Confira uma sessão de um cliente nosso, que é um Pastor Belga forte. Nós não batemos em animais. Trabalhamos no princípio de matilha, que é como o cachorro vive. Buscamos a obediência do cão pela liderança e atitude da nossa parte.

Punição ideal

É a punição que faz o cão evitar determinado comportamento ao associá-lo com algo desagradável. A punição deve ser segura, no sentido de não haver possibilidade de machucar o animal nem a pessoa. Deve ser também clara, no intuito de educar, de inibir um comportamento, e não de vingar-se nem de extravasar raiva.

Um exemplo clássico é o do xixi fora do lugar. Quando acontecer, você deve dizer firmemente ao animal que “não”. Animais memorizam melhor se a palavra for simples e se você usar sempre a mesma. Não grite ou bata. Depois, leve-o até o local correto e diga “aqui”, mas dessa vez com a voz mais macia e até mesmo acompanhado de um carinho ou demonstração de aprovação. Acredite, seu cão associará o seu tom e suas atitudes com o local correto e, com o tempo, irá por vontade própria.

Confira outra dica, para o caso do seu cão pular em você, na descrição do post abaixo:

View this post on Instagram

Como ensinar o cachorro a não pular nas pessoas? Treinamento diário é da responsabilidade do tutor fazer seu cacahorro entender quais atitudes não são aceitas. Entenda que pode parecer fofinho ter seu cachorrinho pulando em você, demonstrando muita alegria, é uma alegria como tutor. Porém seu cachorro vai crescer, ficar maior, mais forte, e isso pode se tornar um grande problema, tanto para você, quanto para visitas por exemplo. Para isso siga essas instruções simples: 1 – Ignore o cachorro quando você primeiro entrar em contato com ele até que se acalme. Pouco a pouco, ele entenderá que a maneira certa de se comportar quando entrar em contato com você é esperando calmamente. 2 – Quando o cachorro pular em você, vire de costas ou mude de direção. Não interaja com ele! Se for necessário tirar o seu cachorro de cima de você, calmamente, remova-o, porém, em nenhum momento, fale com o seu cão. 3 – Sempre recompense os comportamentos desejados. Quando o seu cachorro estiver calmo, dê-lhe atenção e/ou petiscos. Logo, ele associará esperar calmamente, sem pular, com receber muito carinho e atenção. Lembre-se: Esses passos, devem se tornar HÁBITO na sua vida. Caso contrário seu cachorro não vai levar a sério. Siga @matilhafieloficial Já viu nosso site? www.matilhafiel.com.br Nosso face? facebook/matilhafiel #matilhafiel #passeadoresdecaes em #boituva #passeadordecaes #educacaocanina #comportamentocanino #adestramento #adestramentocomportamental #trainyourdog #quemamacuida #amoranimal #vidaquatropatas #quatropatas

A post shared by Matilha Fiel (@matilhafieloficial) on

Fontes e Indicações de leitura:

https://www.maxtotalalimentos.com.br/dica-cao/comportamento/bater-nao-e-educar/

https://tudosobrecachorros.com.br/o-tapa-como-punicao-nao-bata-no-seu-cao/

https://www.clubeparacachorros.com.br/adestramento/podemos-bater-no-cachorro-para-educa-lo/

https://www.bitcao.com.br/blog/como-corrigir-um-cachorro-em-maltratar/