Secreção peniana canina – é bom você saber isso

Secreção peniana canina – é bom você saber isso

Balanopostite – Secreção peniana

Nome estranho…você sabe o que é isto?

É uma inflamação no prepúcio (pele que cobre o pênis do cão).

A maioria dos cães apresenta esta secreção peniana e seus donos ficam assustados e preocupados.

O sintoma é uma secreção purulenta, de cor amarela-esverdeada, que não costuma incomodar o animal.

balanopostite

Percebemos os cães lambendo bastante o pênis, para se limpar.

Normalmente os machos apresentam esta secreção como consequência da presença de bactérias nesta região.

Os filhotes costumam apresentar esta secreção constantemente.

Importante avisar seu veterinário

O(a) veterinário(a) deve realizar um exame do pênis para afastar a possibilidade de haver um corpo estranho (na maioria das vezes, gravetos/plantas), neoplasia ou feridas que podem causar dor, sangramento, além da secreção no prepúcio.

Se não houver nenhuma causa específica, pode não ser necessário tratamento nenhum, mas é possível realizar uma limpeza com solução anti-séptica.

A castração também costuma reduzir bastante o volume de secreção.

As fêmeas filhotes também podem apresentar esta secreção purulenta na vulva (vaginite), mas normalmente a secreção desaparece por volta dos 5 meses.

Esmegma em Cachorro

O esmegma é o nome para essa secreção amarela que você pode ver no pênis do seu cachorro, popularmente chamamos essa secreção de “pus”.

Caso a coloração seja mais avermelhada ou misturada com sangue, é preciso ficar atento.  As descargas da bainha com outras características, como o sangue, e caso esse “pus” esteja em grande quantidade você também deve avaliar com um veterinário.

Sistema reprodutor do cachorro

Na maioria das vezes, esse problema desaparece depois que um cão é castrado, mas há alguns cachorros castrados que ainda recebem uma descarga dessa sujeirinha amarela seu pênis.

Resumindo não se preocupe, porém fique atento se seu cachorro estiver lambendo demais ou se aparecer algum sangramento.

Fontes e indicações de leitura:

…https://petcaramelo.com/meu-dog/pus-no-penis-do-cachorro/

…https://www.peritoanimal.com.br/balanopostite-em-cachorro-causas-sintomas-e-tratamento-22818.html

…http://bichosaudavel.com/tag/secrecao-no-penis-do-cao/

 

Dessensibilização para o final de ano

Dessensibilização para o final de ano

Alguns cães apresentam medo de certos estímulos e a dessensibilização ajuda a lidar e até resolver esse problema. No final de ano, os estímulos da audição do cachorro é extrapolado, como rojões e fogos de artifício. Seu cachorro corre para debaixo da sua cama quando os fogos estouram? (mais…)

Qual é a melhor guia e coleira para seu cão?

Qual é a melhor guia e coleira para seu cão?

Quando você pega a guia e coleira, seu cão fica muuuito feliz, até mesmo descontrolado? Esse momento é muito importante para a saúde canina, desde que seja feito com os acessórios adequados e no nível de energia adequado.

O passeio faz bem para a saúde física e psicológica do animal. Na natureza, os cachorros caminham em torno de 12 horas por dia para comer, beber água e brincar, sempre seguindo o líder da matilha.

A atitude ajuda a manter o peso do animal em dia, a gastar energia, a explorar o território e torna o seu amigo mais sociável. Além disso, durante o passeio vocês fortalecem os vínculos emocionais.

 

MUITO IMPORTANTE:

Não deixe de usar a coleira e a guia para cachorros durante os passeios para garantir o bom comportamento

 

Equipamento correto

Para um bom passeio, é preciso estar devidamente equipado com uma guia e coleira para cachorro. Esses acessórios são primordiais para a comunicação entre dono e animal, para garantir a obediência e para a segurança de todos.

Entretanto, as coleiras e guias só cumprirão esses objetivos se elas realmente foram as ideais para o seu cão. A escolha do modelo deve ser feita de acordo com o porte e comportamento do seu cachorro, conforme as instruções a seguir, confira:

Coleira simples

Coleira

Essa é a guia mais conhecida e que é usada em volta do pescoço do cachorro. Fonte: Ethos Animal

Usada em volta do pescoço, esse tipo de coleira deve conter as informações como o nome do animal e o contato do dono e tem que ficar com o cão 24 horas por dia!

Ela pode ser de nylon, de algodão ou de couro, com um fecho de qualidade e bem ajustada ao pescoço do seu cão, ou seja, nem muito apertada nem muito larga.

Para usá-la, é só encaixar a guia para cachorro em uma das argolas do acessório. A ressalva é para os animais grandes ou muito hiperativos, pois a coleira pode estrangular a região do pescoço.

Coleira ou colete peitoral

Coleira ou colete peitoral

A coleira ou o colete peitoral só deve ser usada por animais de pequeno porte ou de médio porte adestrados. Fonte: Bichinho Chic

Apesar de ser um dos modelos favoritos dos donos, a coleira ou colete peitoral para cães só deve ser usada pelos animais de pequeno porte ou os de médio porte já adestrados.

View this post on Instagram

O que é socialização?⁠ A socialização é tornar o animal sociável e acostumado com os diversos estímulos a que estamos submetidos em uma vida em sociedade.⁠ ⁠ Vamos imaginar um filhote de três meses saindo de casa pela primeira vez. Tudo é novo e pode ser assustador. Essa idade está inserida no que chamamos de “Primeira fase do medo”. Podemos dizer que seria equivalente ao período em que um filhote de lobo sai da toca pelas primeiras vezes. Quanto mais rápido ele aprender o que é perigoso, maiores são as chances de sobreviver.⁠ ⁠ É necessário termos muita paciência nesse momento para entendermos os medos e trabalharmos para que eles não se desenvolvam.⁠ ⁠ Já viu nosso site? www.matilhafiel.com.br⁠ Nosso face? facebook/matilhafiel⁠ #matilhafiel #passeadoresdecaes em #boituva ⁠ ⁠ ⁠ #pastoralemão⁠ #pastoralemãocapapreta⁠ #pastoralemaobr⁠ #pastoralemao⁠ #pastoralemaopreto⁠ #pastoralemaocapapreta⁠ #pastoralemaobrasil⁠ #pastoralemãobranco⁠ #pastoralemaobranco⁠ ⁠ #pastorbelga⁠ #pastorbelgamalinois⁠ #pastorbelgagroenendael⁠ #pastorbelgatervueren⁠

A post shared by Matilha Fiel (@matilhafieloficial) on

Ela pode ser presa na altura do peito ou nas costas do seu cão e é composta por tiras mais finas de couro, nylon ou de tiras mais grossas de algodão ou poliéster, muitas vezes com estampas da moda.

O peitoral não enforca e divide melhor a tração no corpo do seu cão, evitando machucados, mas nem sempre são bem recebidas pelos peludos.

Coleira gentle leader

Coleira gentle leader

Apesar da semelhança, essa coleira não é uma focinheira. Fonte: Bitcão

Essa é uma opção moderna que está sendo muito indicada pelos profissionais para treinar o cachorro na hora do passeio sem correr o risco de machucá-lo.

Ela possui uma tira para envolver o focinho e outra para o pescoço do animal, que sinalizam que você tem o total controle da situação.

O encaixe da guia é embaixo do pescoço, fazendo com que a tira feche a boca e aplique pressão ao pescoço, um movimento natural feito pelas cadelas quando os filhotes se comportam mal.

Ao contrário do que parece, essa coleira não é uma focinheira, pois permite que o cão mova livremente a boca e possa até se alimentar. A coleira é indicada para cães fortes que arrastam os donos na rua e para os animais dominantes e mais agressivos.

Coleira easy walk

Coleira easy walk

A coleira easy walk evita que seu cachorro fique puxando durante o passeio. Fonte: WoufStore

Uma escolha também muito moderna, esse tipo de coleira parece um peitoral. Foi pensada para desencorajar os cães a puxarem durante o passeio sem criar desconforto.

A guia para cachorro é presa na argola que fica na frente, no peito do animal. Dessa forma, se ele tentar puxar, a própria guia obrigará o cão a virar para você, interrompendo o movimento.

Como essa coleira veste peito, costas e barriga, os donos devem ficar atentos aos primeiros usos para garantir que o acessório seja colocado de forma correta.

Enforcadores

Enforcador

Os esforcadores devem ser usados com cuidado e somente com indicação profissional. Fonte: Portal Pets

Esse tipo de coleira é composta por uma tira e uma argola em cada extremidade, que simula uma espécie de mordida do pescoço do seu cão.

Enforcadores só devem ser usados após orientação profissional e exclusivamente durante o passeio ou treinamento, pois eles podem exercer uma pressão exagerada e estrangular o cão. Portanto, procure orientação com seu veterinário de confiança.

Evite usar essa coleira em filhotes ou em cães de pelagem curta, pois o material pode machucar as peles sensíveis. Há também o meio enforcador, que atualmente é mais recomendado para cães que precisam de correção leve, pois ele exerce pressão até determinado limite, com a parte que fica em contato com a garganta feita de materiais macios.

A guia para cachorro

Guia de passeio

A guia é importante para o seu manuseio, escolha a mais confortável. Fonte: Zee.Dog

É muito mais fácil escolher a guia do que a coleira do animal. Esse acessório que conecta a coleira ao dono deve ser o mais confortável possível para o seu próprio manuseio, como é o caso da guia para cachorro feita em nylon e algodão. Guias de couro ou aço são muito resistentes, mas podem machucar a sua mão.

As guias menos aconselháveis são as “de metro” ou extremamente longas, as que possuem mola para amortecer puxões e as elásticas, pois elas dificultam o controle do seu amigão. Além disso, depois de acostumá-lo a esse acessório, vai ser difícil convencê-lo a usar uma guia adequada.

Tamanho

Não existe um tamanho padrão para o acessório, mas as guias com 1, 80 metro já são capazes de dar espaço para que o animal se movimente sem que o dono precise se preocupar.

Além do tamanho, é preciso verificar se as argolas, encaixes, fechos e costuras são realmente de qualidade com um pequeno teste de resistência ao puxar com força o acessório. Se for preciso, você pode mudar a guia que vem com a coleira por outra que se adapte melhor.

 

Fontes e Indicações de leitura:

https://www.vetquality.com.br/guia-para-cachorro-adequada/

https://caocidadao.com.br/dicas/voce-sabia-que-nao-e-natural-para-o-cao-usar-a-guia/

https://www.peritoanimal.com.br/como-ensinar-o-cachorro-a-usar-a-coleira-e-guia-2176.html

https://ndmais.com.br/blogs-e-colunas/mae-de-cachorro/usar-coleira-e-guia-para-passear-com-nossos-caes-e-muito-importante/

 

 

Novembro Azul e seu cachorro – Fique atento

Novembro Azul e seu cachorro – Fique atento

O Câncer de próstata também pode ocorrer nos pets 

O novembro azul é um movimento de conscientização a respeito de doenças que afetam a saúde do homem, com ênfase na prevenção do câncer de próstata. Mas não são apenas os humanos que precisam passar por exames preventivos. Isso porque esse tipo de câncer também se desenvolve nos animais domésticos.

Novembro Azul – mês de conscientização

No entanto, a incidência é maior em cães de grande porte. Normalmente, os sintomas começam a surgir nos pets mais idosos, entre 8 e 12 anos. O tumor apresenta alto grau de malignidade, causando metástases, ou seja, afetando vários outros órgãos.

Mas nem toda Hiperplasia Prostática (aumento da próstata) é maligna. Os cães e gatos adultos não castrados podem ser afetados por Hiperplasia Prostática Benigna (HPB), uma condição que, embora não seja fatal, provoca diversos sintomas que prejudicam muito a qualidade de vida do pet. Mesmo que o cão ou gato desenvolva essa patologia, a chance da Hiperplasia se tornar um tumor maligno é pequena.

Evite o câncer

É importante salientar que 90% das doenças de próstata podem ser evitadas com a castração do pet ainda no primeiro ano de vida. Sem a castração, animais machos tem 80% de chance de ter distúrbios de próstata na idade adulta, a partir dos 8 anos.

A próstata é uma glândula que se localiza logo abaixo da bexiga. Qualquer alteração, ela comprime a bexiga provocando diversos sintomas.

 

FIQUE ATENTO AOS SINTOMAS

  • Urinar com frequência
  • Fazer força ao urinar ou defecar
  • Sangue na urina
  • Modificação no jeito de caminhar
  • Inchaço abdominal
  • Constipação
  • Fezes planas em função da compressão do ânus pela próstata
  • Febre
  • Vômito
  • Emagrecimento progressivo
  • Feridas que não cicatrizam
  • Perda de apetite
  • Cansaço

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico do câncer de próstata ou da Hiperplasia Prostática Benigna é feito através de ultrassonografia abdominal, podendo ser necessária também a realização de exames de sangue, urina e/ou raio X.

TRATAMENTO

O tratamento para os casos de Hiperplasia Prostática Benigna é a castração. Existem ainda medicamentos que diminuem temporariamente o aumento da próstata, cujos efeitos colaterais devem ser esclarecidos por um médico veterinário.

No caso do câncer de próstata, ainda que sejam pouco comuns na rotina veterinária, o diagnóstico é feito por análise histopatológica. O prognóstico é quase sempre desfavorável e o tratamento, quando possível, é cirúrgico.

PREVENÇÃO

Se o seu cão ou gato tem 7 anos ou mais de vida leve-o para uma consulta de avaliação preventiva com o veterinário de sua confiança, mesmo que ele não apresente os sintomas da doença.

Uma consulta deste tipo poderá incluir exames laboratoriais de sangue e urina, exame de imagem e radiografia.

Fontes e Indicações:

Cão.com e G1

http://www.sanoldog.com.br/812/novembro-azul-dos-pets/