Você SABE o que é conchectomia? Também chamada de conchotomia, é um procedimento cirúrgico veterinário, que consiste em Cortar a orelha do cachorro.

É um tema polêmico, pois a grande maioria defende que cirurgias desse gênero não trazem benefícios para os cães, é somente por questões estéticas dos tutores.  A prática de cortar rabo, orelhas de cães e arrancar as garras dos gatos, que já foi até mesmo padrão de estética para algumas raças, é considerada mutilação e crime ambiental.

Mas se essa prática outrora foi muito usada, será realmente que não tinha nenhum benefício para o cão?

Partindo do começo…

Alguns autores alegam que os cães primitivos e os selvagens tinham o pavilhão auricular ereto e em forma de concha, o homem, ao longo do tempo, reconheceu que esta realidade beneficia as condições de proteção e audição. Isso é a natureza pura dos cães, descendentes genéticos dos lobos.

Talvez seja esta a real intenção do homem em formatar orelhas grandes e pendentes em conchas eretas em algumas raças, propiciando além de um corte estético, o fator proteção.

Porque orelhas grandes e caídas?

O aumento do tamanho das orelhas dos cães ocorreu com o tempo e isso talvez tenha sido na intenção de fechar o conduto auditivo para diminuir a audição nos cães de caça, para não se distraírem do faro como é o caso do Basset Hound, Bloodhound, Cocker Spaniel.

O resultado? aumento dos problemas nas orelhas e conduto auditivo, como otites (infecção nos ouvidos), fungos, sarnas, otematomas (descolamento da cartilagem por hemorragia auricular), injúrias, dilacerações, alopecia, sangramento, miíases (bicheira), surdez e dermatites.

Um cão nascesse com orelhas pendulares na natureza provavelmente morreria rapidamente, pois qualquer ferimento no pavilhão, atrairia insetos, moscas, e fatalmente uma miíase ocorreria, levando o animal a morte em pouco tempo.

Existe indicação para cortar a orelha do cachorro?

Ao contrário do que se é divulgado, cortar a orelha do cachorro pode ser necessário, confira algumas indicações:

• Traumatismo em ponta de orelha

• Deformidades no pavilhão auricular(brigas, acidente, miiases)

• Deformidades decorrente de otematoma

• Remoção de tumores (carcinoma epidermóide em gatos)

• Auxiliar no tratamento do conduto auditivo

• Estética – Alguns cães de competição podem ter uma parte da orelha retirada, não sendo obrigatório.

Existem benefícios do corte?

Novos Movimentos

Cortando parcialmente o pavilhão, se promovem três movimentos das orelhas, o da ereção, abaixamento e rotação, dando condição ao cão de espantar insetos, se proteger de mordida de outros cães, melhorar a audição, diminuir as chances de proliferar fungos, sarnas e bactérias que induzem a otite.

Cães que mergulham

Em cães que tem habilidade de mergulhar como o Pit Bull, as orelhas cortadas promovem uma condição ideal para a oclusão total do conduto auditivo, observamos então que o cão que tem orelhas cortadas tem melhor desempenho ao mergulhar do que o cão que tem as orelhas integras.

Estética

A partir do momento em que o homem começou a cortar o pavilhão auricular na intenção de diminuir e modificar o formato da orelha, automaticamente a evolução estética deste procedimento vem se tornando uma realidade, a ponto de ser considerado por muitos uma obra de arte, enaltecendo a expressão de muitos cães, que por vezes não tinham tal expressão definida por falta de qualidade na conformação.

Melhora na rotina diária

Em muitos casos é feita a prática do corte de orelhas em cães mestiços, em geral no interior, com o intuito de beneficiar a condição de defesa do cão para a lida no dia a dia com animais.

Aumento da Imunidade

Alguns autores alegam que o corte das orelhas aumenta sensivelmente a imunidade do cão contra vírus do tipo Cinomose, Parvovirose entre outros.

Como é feito essa cirurgia?

Após a anestesia faz o posicionamento de uma pinça para corte de orelhas de acordo com o local onde irá incisar com bisturi. O sangramento é totalmente controlado com eletrocautério, e com sutura com fio inabsorvível em toda sua extensão, facilita-se um correto posicionamento e cicatrização.

É um procedimento feito em torno de 30 minutos, podendo o filhote retornar para sua residência logo que a cirurgia termina.

Pós-operatório

Usar colar elizabetano

Bandagens com esparadrapo com troca semanal

Antibiótico e antiinflamatório

Os pontos devem ser removidos sete dias após a cirurgia.

Mas por que existe polêmica nesse assunto?

O argumento principal é o sofrimento do animal e a crueldade com ele. O mesmo acontece com a ação de cortar o rabo do cachorro. Por isso, cada vez mais países proíbem essas ações.

Existem pessoas que, sem uma base sólida, apenas por questões de estética, recorrem a essa cirurgia, em locais duvidosos, sem anestesia, ou até mesmo eles o fazem em seus próprios animais. Isso é errado e ilegal.

Em muitos países essa prática foi proibida!

 

Mas e aqui no Brasil?

Foi publicada no Diário Oficial da União resolução do CFMV proibindo os médicos veterinários de realizar caudectomia, conchectomia e cordectomia em cães (cortar rabos e orelhas) e onicectomia em gatos (retirada das unhas).

Segue a resolução:

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA 
VETERINÁRIA

RESOLUÇÃO Nº 1.027, DE 10 DE MAIO DE 2013

Altera a redação do § 1º, artigo 7º, e revoga o § 2º, artigo 7º, ambos da Resolução nº 877, de 15 de fevereiro de 2008, e revoga o artigo 1º da Resolução nº 793, de 4 de abril de 2005.

O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA – CFMV -, no uso das atribuições que lhe confere a alínea f do art. 16 da Lei nº 5.517, de 23 de outubro de 1968, regulamentada pelo Decreto nº 64.704, de 17 de junho de 1969, resolve:

Art. 1º Alterar o § 1º, artigo , transformando-o em parágrafo único, e revogar o § 2º, artigo 7º, ambos da Resolução nº 877, de 2008, publicada no DOU nº 54, de 19/3/2008 (Seção 1, pg.173/174), que passa a vigorar com a seguinte redação:

“Parágrafo único. São considerados procedimentos proibidos na prática médico-veterinária: caudectomia, conchectomia e cordectomia em cães e onicectomia em felinos.”

Art. 2º Revogar o artigo  da Resolução nº 793, de 2005, publicada no DOU nº 64, 5/4/2005 (Seção 1, pg.95).

Art. 3º A presente Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

BENEDITO FORTES DE ARRUDA
Presidente do Conselho

ANTONIO FELIPE PAULINO DE F. WOUK
Secretário-Geral

URL para a publicação na Página 99 da Seção 1 do DOU de 18/06/2013http://www.jusbrasil.com/diarios/55651336/dou-seção-1-18-06-2013-pg-99

CONCLUSÃO

Nós da Matilha Fiel entendemos que essa prática tem história, tem base e que NO BRASIL é proibido aos veterinários realizar esse procedimento nos nossos queridos pets, mas cabe ao tutor tomar a decisão e se responsabilizar, com base em argumentos sólidos, além de buscar profissionais para ver a real necessidade do cão.

Neste artigo apenas levamos a todos os temas mais abordados com base em pesquisas e fontes seguras onde podemos compartilhar com todos, assim todos podem tirar suas próprias conclusões.

Nós da Matilha Fiel temos 3 cachorros que não tem orelha cortada por não ter necessidade do mesmo e caso tenha o primeiro passo será consultar um Medico Veterinário para analisar o caso.

Mais que uma questão de estética, é uma questão de ética e decisão do tutor do cão!

Fontes e Indicações de leitura:

….https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/veterinaria/corte-parcial-da-orelha/27702

..https://rafaelcosta.jusbrasil.com.br/noticias/111756781/resolucao-1027-2013-do-cfmv-proibe-que-orelhas-e-rabo-de-caes-sejam-cortadas-e-unhas-de-gatos-retiradas

https://bandogbrasil.com.br/uma-questao-de-etica/

https://academico.univicosa.com.br/revista/index.php/RevistaSimpac/article/download/125/286

https://kleusaribeiro.jusbrasil.com.br/artigos/327883294/o-status-juridico-dos-animais-uma-revisao-necessaria

https://pitbullmaringa.wixsite.com/pitbullmaringa/corte-de-orelhas