Escolha uma Página

Geralmente o homeopata é o último a atender o paciente, infelizmente. Quando já nada mais funciona, alguém pode sugerir tentar um homeopata. Em situações positivas, o próprio tutor se trata com homeopatia, e, vendo os resultados em si, busca a mesma terapia para seu pet.

Bruna Krepki Rodrigues da Costa, médica veterinária especialista em homeopatia, que atende em Boituva.

Você já ouviu falar de homeopatia? É um tratamento largamente utilizado na medicina humana, terapia que trata não só os sintomas da doença, mas o indivíduo como um todo, ou seja, corpo, mente e energia vital. Entretanto, muitos ainda desconhecem a aplicação dele em animais, porém, é um tratamento tão antigo quanto em seres humanos e pode ser utilizada em qualquer tipo de doença.

A homeopatia para animais tem se mostrado um tratamento eficaz, tanto em humanos, como em cães. Mas, ela tem sido introduzida aos poucos, especialmente por donos que já fazem uso da terapia e conhecem sua eficácia.

Nós da Matilha Fiel entrevistamos Bruna Krepki, médica veterinária e especialista em homeopatia, responsável técnica e cofundadora da Woopet, que atua em Boituva, sobre o assunto.

Saiba mais sobre Homeopatia e pondere os benefícios desse tipo de tratamento para seu cão.

 1 – Olá Bruna! Conte-nos sobre sua experiência e carreira.

Olá, Matilha Fiel! Em 2015, quando cursava veterinária, nos foi dada (para mim e meus colegas) a oportunidade de realizar uma disciplina optativa de homeopatia (fora da grade obrigatória). Já tinha interesse em tratamentos alternativos, mas me chamou atenção aquela disciplina. Em 2017, em meu último ano do curso, busquei estágios com homeopatia veterinária. Não é um campo muito conhecido, mesmo em minha faculdade não houve alguém que soubesse me indicar com certeza profissionais dessa área para estágio (hoje em dia já conheço alguns).

No final de 2017 me formei pela UNESP de Botucatu e logo tive a oportunidade de ingressar num curso de pós-graduação para tornar-me homeopata. Estudando um pouco mais (não podemos parar nunca de estudar) me aprofundei na área de nutrição também, pensando em ajudar meus pacientes com a alimentação, já que sabia que a ração não é o alimento ideal, e não tem tanto efeito medicar um animal cujo problema é a alimentação, eventualmente ele terá novas enfermidades ou o retorno da mesma. Atualmente trabalho com a Woopet para fornecer alimentação natural para os cães e gatos de Boituva e região.

Bruna especialista em homeopatia

Médica Veterinária Bruna, em congresso. “Nunca vou parar de buscar conhecimento.” diz ela.

2 – O que é homeopatia?

Homeopatia é uma modalidade terapêutica, a qual assim como a acupuntura está baseada na Medicina Chinesa Tradicional, a homeopatia está baseada nos ensinamentos de Samuel Hahnemann. Um dos pilares da homeopatia, e o mais conhecido, é a cura pelo semelhante, ou seja, o medicamento que escolhermos é aquele que se um indivíduo sensível ingerisse, teria sintomas semelhantes ao que o paciente apresenta. Isso desencadeia uma resposta no organismo contra aquela enfermidade.

Hahnemann foi um médico que viveu no início do século XIX, que se decepcionou com a medicina tradicionalmente praticada na época, chamada às vezes de medicina heroica, a qual envolvia muitas sangrias, purgantes, suadouros, terapias com produtos que hoje são sabidamente tóxicos, como mercúrio e arsênico. Esse médico, em seu trabalho como tradutor, encontrou ensinamentos que o levaram a desenvolver um método farmacológico diferente, que não prejudicasse o paciente como os tratamentos vigentes da época. Para compartilhar seu conhecimento com outras pessoas, publicou um livro chamado Organon (o qual existe traduzido para português em edição comentada).

Hahnemann book

3 – Em que circunstâncias as pessoas geralmente buscam o tratamento homeopata?

Geralmente o homeopata é o último a atender o paciente, infelizmente. Quando já nada mais funciona, alguém pode sugerir tentar um homeopata. Em situações positivas, o próprio tutor se trata com homeopatia, e, vendo os resultados em si, busca a mesma terapia para seu pet.

Saindo um pouco de cães e gatos, um produtor rural geralmente busca a homeopatia pela fácil administração (não é necessário movimentar os animais) e pelos medicamentos não deixarem resíduos nos produtos (carne, leite e ovos), algumas vezes por indicação ou por ver resultados em outras propriedades.

4 – Quais são os problemas caninos de saúde tratados com mais frequência?

Os problemas mais comuns são problemas de comportamento, principalmente agressividade ou a Síndrome de Ansiedade de Separação (SAS), doenças terminais e/ou crônicas, ou enfermidades idiopáticas (não é encontrado motivo para que o animal apresente aquele conjunto de sinais clínicos).

5 – O que o proprietário de um cão pode esperar do tratamento homeopático das doenças crônicas?

No caso dos pacientes com quadros leves e graves é possível atingir a cura, porém quando o animal já carrega aquela doença há alguns meses ou anos e essa doença já lesionou irreversivelmente um órgão, já não é possível alcançar cura por meio da homeopatia, porém ainda é possível aliviar o sofrimento do animal, barrar o avanço da enfermidade que o acomete, e, mais adiante, proporcionar uma morte digna (colegas com anos de experiência relatam que seus pacientes geralmente morrem dormindo).

6 – Do ponto de vista do “cãociente”, quais são as vantagens da homeopatia?

Quando o medicamento homeopático que o animal toma é o certo para ele, a primeira mudança que o tutor pode observar é mudança na disposição do animal. Sabemos que estamos no caminho certo quando, mesmo que esteja acometido de sintomas, o cão começa a recuperar seu comportamento normal: volta a ter apetite, a latir, a brincar, a dormir tranquilo, a ser afetuoso.

Outra vantagem é que um dos veículos da homeopatia são os glóbulos de lactose e açúcar, o sonho dos cães doceiros. Para os cães mais desconfiados temos a opção líquida, a qual pode ser diluída em água, passando desapercebida.

Mais uma vantagem que poderíamos citar é a ausência de reações adversas. O medicamento homeopático é completamente atóxico. Hahnemann já preconizava que a cura deveria ser rápida, suave e duradoura, e é isso o que mais buscamos com a homeopatia.

7 – Já tratou distúrbios de comportamento em cães com homeopatia?

Não exatamente. Como o medicamento homeopático tem ação global no paciente, se ele tiver sintomas como medo sem motivo, agressividade, comportamento infantil, muitas vezes com um medicamento para tratar a sintomatologia física do animal também tratamos a parte mental dele. Dos quatro últimos que tratei para sintomas físicos, apenas em um não foi percebida mudança em comportamento.

8 – Qualquer profissional médico-veterinário pode prescrever homeopatia?

Qualquer médico veterinário pode prescrever homeopatia, porém nem todos devem. Para se prescrever homeopatia corretamente deve-se ter conhecimento do que se está fazendo, de preferência ter estudado ou estar estudando em uma escola de homeopatia. Apesar de não serem medicamentos tóxicos, uma prescrição errada em indivíduos mais sensíveis pode gerar sintomas outros que não os anteriormente presentes. Caso um paciente tenha essa resposta ao medicamento podemos “resetar” o tratamento imediatamente e trocar a medicação, entretanto o profissional que não tem conhecimento das consequências de uma prescrição errada pode deixar passar os indícios.

O que o médico veterinário pode receitar sem problemas são os complexos comerciais, não são o ideal, mas dificilmente vão prejudicar o paciente. Em situações pontuais também pode-se receitar homeopatia sem problema algum, como Arnica montana no caso de cirurgias ou atropelamentos.

 9 – Que espécies de animais a doutora pode atender?

Teoricamente todos os médicos veterinários estão aptos para atender a todas as espécies, na prática, por ser uma profissão muito ampla, infelizmente temos que nos restringir. Posso atender equídeos, bovídeos, pequenos ruminantes, cães e gatos. Como tenho pouco conhecimento de aves, répteis, peixes e silvestres no geral, preciso de auxílio de especialistas a fim de traduzir corretamente os sintomas, para não deixar que nenhum detalhe se escape, tendo esse auxílio de meus colegas também consigo estabelecer um tratamento homeopático para eles.

Bruna especialista em homeopatia em atendimento 2

Bruna atendendo um paciente inusitado.

 10 – Como está a procura pelo tratamento homeopático hoje em dia?

Quando os próprios tutores têm conhecimento da homeopatia, a preferência deles é essa, porém a difusão dos profissionais nem sempre acompanha a demanda. E ainda enfrentamos muito desconhecimento por parte da população e dos próprios profissionais.

11 – Qual é sua visão do futuro da homeopatia Veterinária?

Aos poucos, com os esforços dos profissionais homeopatas, a homeopatia vem crescendo e se expandindo. Temos pouquíssimos médicos veterinários registrados como especialistas em homeopatia segundo o conselho regional (o número real de homeopatas é desconhecido), e isso nos dá pouca força para contestar indivíduos que tentam conter nosso avanço no meio científico. Já temos no mercado produtos homeopáticos até para plantas.

 12 – Por que a Homeopatia não tem o mesmo prestígio da Medicina Convencional?

As substâncias utilizadas para preparar os medicamentos homeopáticos são submetidas aos processos de diluição (ou ultradiluição, na maioria dos casos) e dinamização (na qual o líquido será agitado). Esse método faz com que o medicamento aos poucos perca suas características originais. Isso fez com que durante muito tempo a homeopatia fosse estigmatizada, pois não tínhamos tecnologia para verificar o que ocorria quando se submetia uma substância a esse preparo. Hoje em dia já temos linhas de pesquisa a respeito do funcionamento da homeopatia, mas ainda não chegamos em seu mecanismo de ação à nível celular (como o medicamento age na célula).

Outro problema é que como a homeopatia é um tratamento muito personalizado, não é possível averiguar a eficácia de protocolos de tratamento.

Seria necessário agrupar os indivíduos de acordo com os medicamentos que receberam, não de acordo com a enfermidade que apresentaram, pois dentro do tratamento existem vários níveis de enfermidade. Um animal com diarreia pode receber o mesmo medicamento de base que um que tenha um tumor no fígado, por exemplo, mas isso não significa que se não medicarmos o com diarreia ele vá desenvolver o tumor no fígado posteriormente. Cada indivíduo expressa o desequilíbrio como pode, não como quer ou como convém.

Muitas faculdades também não dão oportunidade ao aluno de aprender mais sobre essa terapêutica. Isso abre muito margem a achismos. Se houvessem mais homeopatas dentro das universidades, com certeza nosso impacto seria maior.

13 – Quais são as diferenças entre uma consulta alopata e uma homeopata?

De início é uma consulta comum, porém a primeira consulta pode demorar até duas horas, dependendo do caso, da experiência do homeopata, e de quanto os tutores tem a nos contar. Tudo sobre o animal é importante para nós. Às vezes um detalhe ou outro que o tutor deixe de nos contar é o que faz a diferença entre escolhermos um medicamento mais ou menos adequado para o caso. Se o tutor não é a pessoa que passa mais tempo com o animal, talvez seja necessário trazer o parceiro, os filhos, um funcionário, ou até o dog walker para a consulta.

Há pessoas que dizem que não pedimos exames ou indicamos cirurgias, pedimos exames sim, indicamos cirurgias sim. A parte da cirurgia, é que necessitamos dela com menos frequência que os alopatas, pois temos mais meios além do convencional de lidar com as enfermidades.

 

14 – Conte para o leitor qual foi o caso mais curioso que já teve no tratamento Homeopata.

No início do ano passado meu próprio gato passou por um exame de ultrassom e confirmamos o diagnóstico de pedras nos rins. Refizemos o exame alguns dias depois e o rim esquerdo estava sem conseguir drenar urina. Ele ficou internado por alguns dias, passei para ele um protocolo personalizado para ajudar no tratamento. Muito soro e diuréticos depois ele voltou para casa, a pedra havia se movido e ele já drenava urina. Continuei a dar o medicamento homeopático base por alguns meses.

Era um gato extremamente assustado, pois, quando adotei ele, aos 5 meses de idade, demorei uma semana para conseguir pegá-lo, pois toda a vez que chegava a menos de um metro dele, ele saia correndo e se escondia. Porém, com o tempo, se acostumou com minha família e já não fugia deles quando eu estava perto, mas as visitas ainda pensavam que eu não tinha gato, pois nunca o viam. Qual não foi minha surpresa quando dois meses depois de iniciar o tratamento parentes vieram nos visitar e o gato passou pelo meio da sala e deitou no canto, diante de todos, por conta própria.

Seis meses depois do início do tratamento fizemos um exame de ultrassom, os rins estavam em seus tamanhos normais e já não tinham nenhum indício de pedras ou cristais em seu interior. E o gato já passa ao lado dos cachorros e esfrega a cara na perna das visitas.

Bruna especialista em homeopatia em atendimento

Bruna e seus “cãocientes”.

Conclusão

Ter um animal de estimação é motivo para muita felicidade, porém é recheada de responsabilidades. Como nossos entes queridos, temos sempre que buscar o melhor atendimento e tratamento em todos os quesitos da vida.

Com a saúde não é diferente! Aprendemos nessa entrevista sobre a homeopatia e seus benefícios, isso pelo ponto de vista de uma especialista. Isso agrega valores que nós da Matilha Fiel buscamos levar a você diariamente. Tivemos a alegria de conhecer os serviços da Bruna Krepki! Nos concedeu a entrevista com extremo profissionalismo e prontidão.

Bruna Krepki atende na Cidade de Boituva e Região. Em conclusão, deixamos o contato dela, para que, quem precisar, possa entrar em contato e conhecer seu trabalho super profissional, portanto, nós da Matilha Fiel indicamos!

Até a próxima pessoal!

curriculo-bruna-completo

Gostou dessa entrevista? quer ver alguma entrevista específica? entre em contato clicando aqui e mande sua mensagem!