Escolha uma Página

Cães, assim como muitos outros animais, protegem objetos e seres vivos de outros animais ou
pessoas, o que é normal. O problema é quando isso se torna exagerado. Aí, situações desagradáveis e até mesmo perigosas podem acontecer.

Considere isso sobre os ciúmes

Se o cão te protege quando você está sendo ameaçada, é bom; mas se ele quiser morder seu namorado porque ele te deu um abraço, já é ruim. O ciúme ocorre quando o cão associa algo negativo a um outro animal ou pessoa. Suponha que você esteja com um de seus cães, e de repente, um outro cão aparece. Você se esquece daquele que estava com você e passa a dar atenção ao que chegou. O que o primeiro sentirá? “Quando outro chega, eu não recebo mais atenção” – e aí surge o ciúme. O mesmo acontece quando o cão passa a ser ignorado com a chegada de visitas em sua casa. Ele não vai gostar. Aí, ou implica com aquelas pessoas ou então arruma um jeito de resgatar sua atenção, como, por exemplo, fazer xixi em seu tapete.

Seja o líder de sua matilha e acabe com os ciúmes

A primeira medida para solucionar o problema é que o dono seja o “líder da matilha“. Depois, devemos entender o que acontece com o cão, ou seja, nos colocarmos no lugar dele.

Uma visita chega em sua casa e o cãozinho perde atenção. Se você prendê-lo por estar incomodando, terá mais associações negativas para fazer com a visita – além de ser ignorado, é também preso. Se, no entanto, você começar a dar petiscos, brincar, enfim, fazer algo positivo para ele, ele começará a gostar daqueles momentos em que tal pessoa chega em sua casa – e o problema desaparece, pois ele irá associar a presença dessa pessoa com coisas boas, ao invés de algo negativo. E quanto mais interação essa pessoa tiver com o cão, melhor.

Quem corrige?

A correção nunca deve vir do “invasor”, pois isso irá piorar ainda mais o problema. É a pessoa que está sendo “defendida” que deve corrigir o cão. A correção, no entanto, nem sempre é a solução. O segredo está em reduzir ou acabar com os motivos do ciúme, cortando-o pela raiz.

Voltando ao exemplo inicial: Você está com um de seus cães e outro se aproxima. Ao invés de se  esquecer de um deles, faça que a presença de um seja agradável ao outro, dando atenção, petiscos ou brinquedos para ambos. Alguns donos só dão petiscos a um dos cães quando o outro está longe, no intuito de evitar tensões e ciúmes. Isso não é bom, pois com o tempo, eles gostariam que só recebem os petiscos quando o outro não está perto, logo, a presença do outro é ruim.

Hierarquia = Matilha

Os cães têm uma certa hierarquia entre eles (todos devem estar abaixo de você). Essa hierarquia
deve ser seguida. Se um deles é mais dominante e o outro mais submisso, sempre dê atenção ao dominante primeiro, depois ao outro. Se você ficar com dó daquele que é tão fraquinho e dar atenção a ele primeiro, o “chefe” não gostará e ficará com ciúmes, o que pode gerar disputas.

Outro problema é o de mulheres que deixam o cão dormir em sua cama só quando o marido está fora. Quando o marido volta, o conforto da cama é recusado ao cão, que associará a presença do marido com noites mal dormidas em um chão bem duro. Existem muitos outros casos em que o dono, sem perceber, estimula o cão a ter ciúmes.

Segredo final para o fim dos ciúmes

Entendendo o pensamento de seu melhor amigo e cortando os motivos do ciúme, o problema
tende a ir acabando até que você, ele e a outra pessoa ou cão estabeleçam um convívio saudável.

 

Fontes e Indicações de leitura:

http://portalmelhoresamigos.com.br/cachorro-ciumento-como-evitar-e-corrigir-o-problema/

http://portalmelhoresamigos.com.br/sos-como-lidar-com-seu-cachorro-ciumento/

https://www.cachorrogato.com.br/cachorros/ciumento/

https://canaldopet.ig.com.br/adestramento/psicologia/2019-03-02/entenda-um-cachorro-ciumento.html