Escolha uma Página
Você conhece o período social de todo cão?

Você conhece o período social de todo cão?

Os cachorros são amigos de estimação maravilhosos e merecem todos os cuidados. Para que possamos ter uma convivência saudável com eles é importante conhecermos algumas questões comportamentais. Conhecer o período social é essencial.

 

O que é socialização?

A socialização é tornar o animal sociável e acostumado com os diversos estímulos a que estamos submetidos em uma vida em sociedade.

Cães diversos. Foto: Dora Zett / Shutterstock.com

Período social – Oque você precisa saber.

Esse período é muito importante e talvez você não saiba disso. Esse período vai até por volta dos 90 dias de vida dos filhotes. Por isso devemos ter todo esse cuidado, desde o cuidado com a mãe e seus filhotes e com o manejo desses filhotes, oferecendo um excelente período neo natal e ao entrarmos no período social, o nome mesmo já diz, cuidarmos da
socialização do filhote.

Por isso, é extremamente importante darmos atenção a esse momento da vida do filhote, proporcionando o máximo de experiências positivas, frente as adversidades, para que cresça um animal mais seguro, confiante e curioso em situações de adversidades.

Se você se dedicar nessa primeira fase e apresentar o mundo ao seu cão e habitua-lo a ele, terá andado meio caminho para o sucesso da vida e bem estar do seu cão. Começar certo faz toda a diferença, para o êxito em qualquer adestramento canino. Lembre-se, tudo ficará marcado na vida do filhote e essas marcas o acompanharão para toda a vida.

Perdi essa janela de oportunidade… e agora?

Um cão que perdeu essa fase, pode ser exercitado também, mas talvez tenha um rendimento diferente de um cão que foi dada a devida atenção nessa fase tão importante da vida.

Imagine um cãozinho que mora há dois anos com outro cão. O que ele aprender, apenas com o outro cão, sobre relacionamento e linguagem canina será suficiente para se relacionar adequadamente com outros cães? Certamente não. Qualquer cão diferente que ele venha a conhecer poderá ser assustador. Seria o mesmo se disséssemos que conhecer apenas uma pessoa em nossa vida seja suficiente para conhecer a espécie humana e sabermos lidar com toda a sua complexidade.

O mesmo vale em relação à ambientes. Uma pessoa que nunca saiu de casa, dificilmente se comportará adequadamente fora dela.

Socialização ativa, a melhor opção

A socialização ativa não é só acostumar o cãozinho aos estímulos, mas fazer com que ele os aprecie. Por exemplo, passar uma tarde no parque brincando com outros cães e pessoas.

Ou, ao passar um ônibus barulhento ele ganha um petisco. Repetindo algumas vezes, o cãozinho pode começar a se sentir a vontade na presença de ônibus em movimento e, muitas vezes, passa até a gostar de estar nesta situação.

O mesmo vale para pessoas (de idades e estilos diferentes), cães, motos, carrinhos de bebê, etc. Tudo aquilo a que nós, humanos, já estamos acostumados e nem nos preocupamos mais.

Somente dar um petisco para o cão na presença dos estímulos é suficiente? Ainda não. Estaremos criando uma associação positiva, mas, isso ainda não é socialização ativa.

A socialização ativa ocorre quando o cão interage de forma saudável e agradável com os estímulos.

View this post on Instagram

Boa noite!

A post shared by Matilha Fiel (@matilhafieloficial) on

Como fazer para socializar ativamente meu filhote?

1. O primeiro passo é comprar seu cãozinho apenas depois de sessenta dias de idade.

Ele precisa ficar até pelo menos sessenta dias com a mãe e irmãos. Não recomendamos comprar filhotes que não conviveram até esta idade.

Essa primeira fase de socialização é muito importante. O filhote aprenderá a linguagem canina básica (sim, ela existe!) com a mãe e os irmãos. Um filhote que passou bastante tempo nesse ambiente raramente vai ser do tipo que, brincando, morde os braços dos donos até machucar. Costumam ser muito mais equilibrados e fáceis de treinar, cedem com mais facilidade, são menos insistentes e aceitam melhor nossas propostas de treino.

2. Brincar com cães equilibrados.

Cães equilibrados são aqueles que não apresentem agressividade e dos quais seus donos tenham o mínimo controle. Opte por filhotes de amigos, ou cães que estão acostumados ao convívio pacífico com outros cães em praças, viagens, etc. Evite aqueles que apenas ‘suportam’ a presença de outros cães, mas na hora de interagir costumam dar aquele aviso ‘Aufff’ para o cãozinho se afastar. Você precisa colocá-los juntos de duas a três vezes por semana.

Escolha um local cercado e sem interferência de outros estímulos (que possam assustar) e de outros cães. Deixe-os brincar bastante, até cansar. Supervisione a brincadeira para que não se machuquem ou um não ‘abuse’ da boa vontade do outro. Nunca grite, brigue ou ameace, ao invés disso, oriente. Se o filhote está se excedendo, vá até ele e o afaste levemente do outro, quantas vezes forem necessárias para que ele se acalme um pouco e descubra que desta forma a brincadeira acaba. Se encontrar outros filhotes, coloque todos juntos e caso isso não seja possível, faça a ‘procissão’ com o seu, de casa em casa, o máximo de vezes que conseguir.

Muitas pessoas aconselham a deixarem os cães “se resolverem”. Esta opção é, sem dúvida, uma das piores encontradas. Assim como supervisionamos crianças e não deixamos que briguem entre si, não podemos deixar que isto ocorra com nossos cães. Certamente ele associará a presença de outros cães com apanhar ou bater.

View this post on Instagram

Cães que só vivem em ambientes restritos e com poucos passeios tendem a ficar hiperativos e pouco sociáveis, tornando-se destrutivos e agressivos. Eles devem ter diversão! > > Caso não consiga manter uma rotina de passeios, entre em contato conosco! > > Siga @matilhafieloficial > > Já viu nosso site? www.matilhafiel.com.br Nosso face? facebook/matilhafiel #matilhafiel #passeadoresdecaes em #boituva #matilhafiel #boituva #caozinhofofo #cachorro #pet #animais #dogs #donosdepet #donosdepetsentenderão #cão #cachorros #amoosanimais #filhotes #viralatas #viralatalovers #viralata #doggroomer #animaissaoanjos #amoanimais #boituvaparaquedismo #respeito #dicas #respeiteseucachorro #vet #veterinária

A post shared by Matilha Fiel (@matilhafieloficial) on

3. Associe positivamente com petiscos

Carinho não é suficiente no passeio, a passagem por portões com cães agressivos ou latindo e cães que passem na guia com seus donos. Pare a uma distância segura (que ele não apresente sinais de medo) e ofereça petiscos. Pode também induzir os comandos que ele já está aprendendo (já está, né?), como Senta, Deita, Dá a Patinha. O desempenho, neste momento, é irrelevante. O objetivo é conseguir que se concentre em nós enquanto o outro cachorro do portão se esgoela ou passa na guia. Crie uma lista de estímulos, por exemplo:

  • Ônibus
  • Motos
  • Caminhão de lixo / gás
  • Outros animais
  • Pessoas que se aproximam com bolsas, chapéu, guarda-chuva, capa de chuva
  • Mendigos
  • Multidões
  • O que mais puder identificar como estímulos.

Andar 20 min no meio de multidões já é um exercício mental imenso, que vai deixá-lo exausto. Sempre faça associações positivas.

Com pessoas:

1. Além de oferecer petiscos para seu cão na presença das pessoas de diferentes idades, etnias e alturas, peça para essas pessoas oferecerem petiscos para ele. Exemplos:

  • Pessoas de diferentes etnias
  • Pessoas com alturas diferentes, de terno, homens, mulheres
  • Porteiros
  • Carteiros (!)
  • Varredores de rua
  • Idosos
  • Crianças – Chame crianças para brincar de bolinha com seu cãozinho. Ele vai adorar! Conselho: escolha crianças mais calmas e com mais de quatro anos de idade
  • Etc.

Uma vez só é suficiente? Não! Faça isso pelo menos 2 ou 3 vezes por semana. Após um mês, pode diminuir o ritmo.

Tenha paciência, pois vai dar trabalho!

Porém, ao final desse trabalho, você dificilmente terá problemas de agressividade e medo e ainda terá um cãozinho equilibrado por toda a vida. Um cão bem socializado consegue ser seguro o suficiente para resolver suas ‘questões’ sem precisar usar agressividade. Na maioria dos casos, a agressividade é fruto do medo daquilo que o cão não conhece ou possui uma associação ruim e quer repelir.

Cada cão é único e pode apresentar reações diversas aos diferentes estímulos. Cabe ao dono trabalhar cada uma delas. Você é a pessoa que mais conhece seu cão e, depois de alguma observação, conseguirá identificar com facilidade o que precisa socializar.

Uma boa socialização é, sem dúvida, o melhor investimento que você pode oferecer ao seu cão. Além de ser divertido você evitará problemas futuros e terá um cão equilibrado e seguro.

Faça uma lista de itens que você considera importantes que o seu cão saiba se relacionar e utilize esta lista como um guia para uma socialização planejada e bem feita.

Fontes e Indicação de leitura:

https://www.bayerpet.com.br/caes/comportamento/comportamento-cao/

https://www.tudodecao.com.br/como-socializar-caes

http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/mundo-pet/2014/noticia/2014/12/mundo-pet-evolucao-dos-caes-ate-se-tornarem-animais-de-estimacao.html

https://www.adimaxpet.com.br/noticias/curiosidades/3-coisas-que-os-caes-podem-perceber-nos-humanos

 

Passear com cachorro: por que é tão importante?

Passear com cachorro: por que é tão importante?

De vez em quando é bom sair e curtir um pouco a vida. Se para você isso é essencial, a fim de manter o equilíbrio diário, imagine para o seu cachorro! Se nós, sobre duas pernas, já temos um nível considerável de energia e necessitamos gastá-la, ele então, sobre quatro patas… se possível iria para a China numa corrida só e ainda te levaria junto! Passear com cachorro é um exercício físico e mental para o animal e contribui para desenvolver várias habilidades motoras e psíquicas necessárias para um bom relacionamento entre ele, você e a sociedade.

(mais…)

Saiba quais as raças que devem usar o acessório em lugares públicos

Saiba quais as raças que devem usar o acessório em lugares públicos

Uso da focinheira é obrigatório por lei

usar focinheira

Os condutores de alguns animais deverão seguir as regras estabelecidas na Lei Estadual nº 11.531/03 e do Decreto municipal nº 48.533/04, que exigem a utilização de coleira, guia curta, enforcador e focinheira para os cães das raças de grande porte.

Conheça as raças de cães que por lei devem usar focinheira

Comecemos então conhecendo a legislação vigente. Embora você possa pensar que o seu animal de estimação é o animal mais pacífico do mundo, sim, ele deverá usar focinheira para sair à rua se ele for parte das raças catalogadas como potencialmente perigosas. Tome nota:

I – “mastim napolitano“;
II – “pit bull“;
III – “rottweiller“;
IV – “american stafforshire terrier“;
V – raças derivadas ou variações de qualquer das raças indicadas nos incisos anteriores.

Considere então:

  • Staffordshire Bull Terrier;
  • American Staffodshire Terrier;
  • Dogo Argentino;
  • Fila Brasileiro;
  • Tussa Inu;
  • Akita Inu.

Resultado de imagem para cachorro com focinheira

O que estabelece o decreto

1. Cães das raças mastim napolitano, pit bull, rottweiler e american staffordshire terrier tem de ser conduzidos com uso de coleira, guia curta de condução e enforcador. Os animais de raças derivadas ou variação de qualquer dessas raças também são abrangidas pela lei.

2. Em centros de compras, locais fechados de acesso público, eventos, passeatas ou concentrações públicas os animais terão, ainda, de estar com focinheira.

3. São consideradas guias curtas de condução as correias ou correntes com comprimento máximo de 2 metros.

4. A multa para os casos de descumprimento da lei será aplicada pelos profissionais da Vigilância Sanitária.

5. Qualquer pessoa pode comunicar a Vigilância Sanitária sobre a infração da lei, indicando as provas que tiver da infração. Ou até mesmo a polícia, caso verifique a condução do animal em desacordo com a legislação.

6. A autoridade policial deverá comunicar a Vigilância Sanitária para lavratura de auto de infração e, se necessário, conduzir o infrator à delegacia de polícia para registro de ocorrência.

7. O valor da multa por descumprimento da lei é de R$ 124,90.

8. O valor da multa em caso de reincidência é de R$ 149,80.

View this post on Instagram

Os condutores de alguns animais deverão seguir as regras estabelecidas na Lei Estadual nº 11.531/03 e do Decreto municipal nº 48.533/04, que exigem a utilização de coleira, guia curta, enforcador e focinheira para os cães das raças de grande porte. > Comecemos então conhecendo a legislação vigente. Embora você possa pensar que o seu animal de estimação é o animal mais pacífico do mundo, sim, ele deverá usar focinheira para sair à rua se ele for parte das raças catalogadas como potencialmente perigosas. Tome nota: > I – "mastim napolitano"; II – "pit bull"; III – "rottweiller"; IV – "american stafforshire terrier"; V – raças derivadas ou variações de qualquer das raças indicadas nos incisos anteriores. > > Siga @matilhafieloficial > > Já viu nosso site? www.matilhafiel.com.br Nosso face? facebook/matilhafiel #matilhafiel #passeadoresdecaes em #boituva #beagle #baglebrasil #cutebeagle #beaglecross #beaglestyle #beaglepuppies #beaglesociety #mastim #pitbullmommy #pitbullofficial #pitsofig #pittie #pitbullgram #pitbullgram #americanstaffordshireterrier #bulliesofinstagram #pittie #bully #staff #staffylove #dogoftheday #ilovemydogs #dogsofinstaworld #puppiesofig #terrier

A post shared by Matilha Fiel (@matilhafieloficial) on

Quais os tipos de focinheiras?

Existem focinheiras de tecido ou nylon, podem também ser chamadas de focinheiras de contenção. Elas são usadas durante procedimentos veterinários, para evitar que seu cão atrapalhe durante um exame, ou evitar que ele se lamba enquanto você passa algum carrapaticida ou talco contra carrapatos.

cão com focinheira de cesta

Focinheiras de cesta

Focinheiras de cesta ou grades são as de passeio, elas são as mais indicadas por evitar que o cão morda, mas também deixa-lo livre para respirar, cães respiram com a boca aberta, e não provocam incomodo ao cãozinho.

cão com focinheira de contenção

A focinheira de adestramento / contenção

A focinheira de adestramento envolve o focinho do cão e é ligada a uma guia para passeio, pode parecer incomodo, mas se utilizada da forma correta vai ajudar a adestrar cães que puxam muito durante os passeios.

cão com focinheira de cesta

focinheira de cesta

Focinheiras especiais são as fabricadas para cães de focinho achatado, não é indicado que cães com focinho achatado usem focinheira, por já ter problemas respiratórios de nascença, é importante que nesses casos entre em contato com o veterinário para avaliar a melhor saída.

Recomendações sobre a utilização da focinheira

usar focinheira

Crédito: Simpática Dumat

Lembre-se que a focinheira é um elemento muito incômodo para o peludo e que apenas serve para reprimir condutas as quais ainda não se pôde encontrar uma solução efetiva. Usá-la o como um castigo por algum comportamento inadequado, ou para evitar que o cão lata em excesso, apenas piorará a situação.

Se de alguma forma você se ver diante da necessidade ou da obrigação por lei de que seu animal de estimação tenha que usar uma, lembre-se que:

  • Não deve usá-la por períodos prolongados de tempo.
  • O animal tem que ser fiscalizado de forma constante enquanto usa a focinheira, já que ele pode se machucar se tentar tirar ou pode morrer afogado se ficar impossibilitado de vomitar.

Fontes e indicações de leitura:

https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2003/lei-11531-11.11.2003.html

https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/decreto/2004/decreto-48533-09.03.2004.html

https://meusanimais.com.br/cao-deve-usar-focinheira/

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/na-imprensa/caes-tem-de-usar-focinheira-em-sp/